Publicado por: Laísa | 25 de setembro de 2014

Limnologia para todos: uma ação entre universidade e escola

Autores: Mariana Brück e Laísa Freire

SAM_3050Estudos acerca do conhecimento científico com fins de educação e divulgação científica têm sido realizados por vários autores no campo da educação e do ensino de ciências. Segundo Santos (2000), vem crescendo o número de trabalhos sobre os saberes presentes nos processos educativos escolares, com o intuito de valorizar outros saberes como aqueles da experiência social e cultural, do senso comum e da prática, como fundamentais no desenvolvimento de habilidades e competências dos indivíduos. Assim volta-se um olhar para a cultura escolar, analisando as práticas e os valores presentes no seu cotidiano. Partindo da afirmação de Tardif (2000) de que a escola é um espaço de produção de saberes e, nesse sentido, outra concepção de saber se estrutura, buscamos através da proposta da visita de estudantes ao laboratório de limnologia uma ação de divulgação científica que aproxime a relação universidade e escola.

Marandino (2005) assegura que o processo de socialização do conhecimento científico é cercado de desafios, posições polêmicas e embates, porém se assume como necessidade ética a importância de levar as informações produzidas pela ciência e tecnologia a um público cada vez mais amplo, como instrumento de cidadania. E de qualquer modo, os processos e produtos da ciência e da técnica impregnam nosso cotidiano e, para além da discussão sobre as reais intenções da divulgação da ciência, é fundamental que se promova a apropriação desses conhecimentos pela população como forma de inclusão social.

A partir desses pressupostos, construímos desde junho de 2014, sob a coordenação do Frederico Meirelles e da professora Laísa Freire uma proposta de visita ao laboratório de limnologia, que tem como público alvo estudantes do ensino médio. A proposta do laboratório é originar um diálogo com os estudantes, fazendo com que eles criem interesse pelos temas a serem abordados, e que eles apresentem questionamentos como forma de complementarem seus conhecimentos acerca dos assuntos. Tendo como principais objetivos apresentar  pesquisas ecológicas e em educação em ciências que estão em desenvolvimento no laboratório, relacionar as pesquisas em limnologia com as questões sociais e ambientais contemporâneas, discutir conseqüências da disponibilidade, distribuição e qualidade da água e apresentar informações sobre ciência e método científico.

Antes da visita, realizamos no mês de agosto um plano piloto entre os membros do laboratório com o intuito de acertar todos os detalhes de locomoção, distribuição e tempo entre as atividades, o qual foi de extrema importância para todos os envolvidos diretamente na visita, pois nos permitiu sair do imaginário levando a construção de uma visão geral dos conteúdos e logística.

A visita foi realizada no dia 19 de setembro e contou com a participação de 38 estudantes do terceiro ano do ensino médio de uma escola de Teresópolis. Contou com a presença também de dois professores desta escola.

SAM_3119

Boas vindas do professor Reinaldo Bozelli.

Como método de trabalho, foram apresentados dois vídeos. Os vídeos têm como intuito mostrar a importância da bacia hidrográfica, a disponibilidade, distribuição e qualidade da água, buscando a identidade com o ambiente escolar e mostrando a aplicação social da ciência, com perspectiva de fomentar um debate pontuado em assuntos como a definição de ciência e método científico.  Em seguida fizemos uma demonstração das interações e funções dos peixes na água, atividade realizada em colaboração com o laboratório de ecologia de peixes.

SAM_3095

Ecologia de Peixes como conteúdo da visita.

Na parte da visita às instalações do laboratório, realizamos demonstração de experimentos, observação de organismos e apresentação de equipamentos e procedimentos de coleta em campo e análise em laboratório. A proposta das atividades em cada setor é que se tenha a formulação de considerações sobre população, comunidade, ecossistema, matéria em circulação, energia, os quais eles já têm predefinido e assim ligando de forma didática os eventos de cada setor, além de demonstrar a dinâmica do laboratório.

SAM_3085SAM_3078

Conhecendo as diferentes linhas de pesquisa do laboratório.

Também apresentamos materiais de coleta em campo e os estudos voltados para a educação em ciências e educação ambiental com ênfase nos materiais didáticos produzidos.

SAM_3083

A maleta do limnólogo gerou curiosidade sobre os equipamentos de coleta em campo!

SAM_3130A proposta da visita ao laboratório tem como perspectivas futuras atingir escolas do ensino público, garantindo uma integração entre a universidade e a escola, além de se expandir para todos os laboratórios do departamento de ecologia. A proposta nos mostra também o grande desafio à formação de pesquisadores, pois cada vez mais a ciência reconhece seu papel social. Marandino (2005) afirma que a ciência busca uma formação de iguais competências na sociedade em geral e na escola básica, que a investigação científica faz um apelo ao ensino como seu complemento necessário, pois é necessário ao cientista um destinatário que possa, por sua vez, ser um remetente, que seja um parceiro. Da mesma forma, é importante que a sociedade entenda a importância da ciência para ser o seu avaliador e remetente final, mesmo sem conhecer a linguagem científica. Contudo, para que tais ações ocorram é necessário que haja um trabalho integrado e interdisciplinar envolvendo pesquisadores de diferentes áreas do conhecimento, tanto disciplinares quanto pedagógicos.

 SAM_3124

Finalizamos a visita com a hora do lanche e avaliação.

Agradecemos a todos os integrantes do laboratório pelo envolvimento e seriedade com o trabalho realizado.

Referências bibliográficas

MARANDINO, M., (2005). A pesquisa educacional e a produção de saberes nos museus de ciência. Revista História, Ciências, Saúde-Manguinhos, n…, p…, vol 12

SANTOS, L.L.C.P., (2000). Pluralidade de saberes em processos educativos. In: CANDAU, V.M.F. (org.). Didática, currículo e saberes. Rio de Janeiro: DP&A, p. 46-59.

TARDIF, M., (2000). O conhecimento dos professores. Rio de Janeiro: Pontifícia Universidade Católica (mimeo.).

Anúncios

Responses

  1. Rafael vamos repetir este ano a atividade… se quiser vir!! 🙂

  2. Poxa que bom ver isso! Se eu estivesse aí teria participado de corpo e alma. Muito legal.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: