Publicado por: marianabruck | 22 de junho de 2017

As atividades desenvolvidas durante o curso de formação de professores

De junho a agosto de 2016, o grupo de pesquisa em Educação Ambiental e Ensino de Ciências (GPEAEC) do laboratório de limnologia e orientado pela professora Laísa Freire, realizou o curso de formação de professores “Mudanças climáticas na pesquisa em ecologia e no ensino de ciências”, em que buscávamos por meio dos processos de diálogo uma formação de professores críticos, participativos e capazes de construir sua identidade por meio de espaços de discussão em relação ao meio científico e suas práticas em sala de aula.

O curso gerou um encontro entre pesquisadores em ecologia, pesquisadores em ensino de ciências, professores do ensino de ciências da Rede Pública do Ensino de Macaé e licenciandos em ciências biológicas de diferentes instituições públicas, em uma relação dialógica para a compreensão, aprofundamento do tema das mudanças climáticas e estabelecimento de relações entre pesquisa e ensino.

O curso de formação de professores teve duração de 20 horas presenciais e foi desenvolvido em cinco encontros. Durante o curso foram realizadas atividades teóricas e práticas, de modo a estabelecer trocas entre licenciandos/professores, e dos mesmos, com os pesquisadores. Estas atividades tiveram como objetivos: discutir os desafios da questão ambiental e das causas consequências das mudanças climáticas; discutir sobre as controvérsias sociocientíficas das mudanças climáticas e apresentar as relações entre educação ambiental e educação em ciências; discutir sobre as mudanças climáticas no contexto escolar e ao final elaborar uma sequência didática para tratamento didático do tema mudanças climáticas na escola básica.

Enfatizamos aqui as atividades realizadas em cada encontro e seus respectivos objetivos:

1º encontro)

  •  Atividade da teia: promover o conhecimento mútuo entre os participantes (pesquisadores e professores);
  • Atividade do aquário: possibilitar que os participantes (professores e pesquisadores) discutissem sobre o diálogo e a importância da interação entre professores-pesquisadores para processos formativos;
  • Introdução ao tema das mudanças climáticas: introduzir conceitos sobre as mudanças climáticas por meio de uma apresentação expositiva;

2º encontro)

  • Atividade do júri simulado: promover a discussão sobre as controvérsias sóciocientíficas no tema mudanças climáticas entre os participantes (pesquisadores e professores);
  • Atividade da trilha e cartografia social: sensibilizar os participantes sobre as diferentes interpretações e configurações do mundo e como de forma participativa de intercâmbio e diálogo se pode construir um conhecimento integral do território e as realidades sócio ambientais;

3º encontro)

  • Dinâmica de grupos sobre a questão ambiental no contexto das mudanças climáticas: criar espaço para que os participantes em grupo possam dialogar sobre a questão ambiental e as causa-consequências relacionadas com as mudanças climáticas;
  • Atividade textual sobre as mudanças climáticas na pesquisa em Ecologia: estimular os professores a expressarem o que compreenderam sobre as mudanças climáticas na pesquisa em Ecologia;

4º encontro)

  •  Atividade de diálogo sobre as mudanças climáticas no contexto escolar: possibilitar o diálogo entre pesquisadores e professores sobre as mudanças climáticas no contexto escolar;
  • Construção conjunta da sequência didática sobre as mudanças climáticas no contexto escolar: promover a construção conjunta entre pesquisadores e professores (assim como de um grupo só de professores e só de licenciandos) de uma sequência didática sobre o tema mudanças climáticas no contexto escolar;

5º encontro)

  • Construção conjunta da sequência didática sobre as mudanças climáticas no contexto escolar: Finalização da elaboração e apresentação da sequência didática.

 

 

 

Destacamos que o curso de formação de professores foi uma proposta pedagógica para o desenvolvimento de duas pesquisas de mestrado, as quais são integrantes de um projeto maior do laboratório de limnologia, “Questões socioambientais na sociedade contemporânea: implicações e significados na formação docente em ciências”.

Acreditamos que o curso de formação de professores e as duas dissertações desenvolvidas a partir do cenário empírico do curso, serviram como um ponto de partida para o debate das mudanças climáticas dentro do ensino de ciências, uma vez que podemos considerar que as mudanças climáticas é um tema bastante discutido no meio científico e muitas vezes apresentada pela mídia nos rádios e televisões, porém ainda se encontra pouco debatida no ensino de ciências, tanto no que diz respeito à formação inicial, quanto na formação continuada de professores.

 

Referências:

BENAC, R. M. Diálogo de saberes sobre o tema Mudanças Climáticas: Uma proposta de interação entre docentes em ciências e pesquisadores em ecologia na perspectiva da Educação Ambiental. 2017. 130 f. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais e Conservação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Macaé, 2017.

GONÇALVES, M.B. Concepções de licenciandos de ciências biológicas e professores de ciências sobre mudanças climáticas: relacionando educação ambiental e educação em ciências a partir da abordagem de controvérsias sóciocientíficas. 2017. 90 f. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Saúde, Núcleo de Tecnologia Educacional para a Saúde/Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2017.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: